Localização Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Área 2500.0 m2

Ano do projeto 2016

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Espaço Cultural HP

ES•PA•ÇO HER•ME•TO PAS•COAL. s.m.
O IMPROVISO POPULAR EM RELAÇÃO À PROFUNDIDADE DE ENTENDIMENTO
ERUDITA
1. SERÁ HERMETO PAR, SERÁ HERMETO ÍMPAR?
A palavra partido é usada na arquitetura como um conjunto de pré definições que direcionam o projeto para algum sentido. Um projeto de arquitetura, olhando por nossa breve experiência, pode surgir pela escolha de um partido, uma pré-definição julgada importante, por uma referência estética, pela resolução engenhosa de um conjunto de atividades ou mesmo pela observação de que há um ponto confluente
entre escolhas determinadas. Fato é, que, quando se trata de Hermeto, não há pré-definição ou pré conceito. Hermeto é criança erudita. É idioma. É instrumento musical. É raiz brasileira de fluência universal.
2. JAZZ, É JÁS
Jás é linguagem extraída, de improviso sobre padrão, de liberdade sobre definição. É profundidade de entendimento. São vários níveis de entendimento, vários padrões que encontram interfaces auditivas para se tornarem memória e sentimento. Jás é diversidade, é nível de detalhe, é diferença entre escalas. Jás é flow.
3. A MÁQUINA
Arquitetura é abrigo com propósito, função. Está na natureza a matéria-prima da música, como a matéria-prima da arquitetura? A música surge do mimetismo do mundo natural. É compreensão, análise e reorganização
de padrões. É fantástico como fórmulas são capazes de gerar tanto sentimento. A relação partitura e sinfonia, por exemplo. Como algo tão rígido no papel se torna tão celestial e inexplicável através de sentimento e emoção de
um intérprete ou músico? Seria interessante essa mesma relação entre desenhos de arquitetura e obra construída, sendo arquitetura e música linguagens mimetizadas da natureza.
4. O MATERIAL
Na relação entre música e arquitetura, seria um croqui à mão comparável a uma música “a capela”? A apresentação de um projeto está para a partitura como arquitetura está para a música?
5. O PROPÓSITO
Temos bem definidos um programa básico que serve como espinha dorsal de um projeto sobre níveis de entendimento e sentimento, padrão e improviso. O jazz dá ao músico liberdade para expressar seu individualismo através do improviso.
6. OS SÍMBOLOS
Acreditamos que os símbolos utilizados devem ser de fácil reconhecimento, porém a forma com que estão dispostos deve ter diferentes níveis de entendimento, proporcionando variedade de tipologias espaciais que irão permitir boas soluções para a adequação do programa.
7. PALAVRAS-CHAVE
swing • flow • fusion • beat • ginga • fluxo • continuidade • cor • padrão • improviso • energia • sentimento • brasil