Localização Curitiba, Paraná, Brasil

Área 223.0 m2

Ano do projeto 2018

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

APARTAMENTO PHM

O projeto deste apartamento foi realizado em parceria com a incorporadora do edifício Mandala, a AG7 Realty, como uma ação de marketing do empreendimento. Sendo assim, o projeto foi pensado de modo a explorar as potencialidades do apartamento, um duplex intermediário de aproximadamente 223 m2. 

O conceito do projeto está alinhado a vida contemporânea. Um projeto desenvolvido para ser simples e sem excessos, marcado pela valorização da integração dos espaços e uma paleta de materiais reduzida, capaz de abrigar e se transformar com a vida dos futuros moradores.

O principal elemento do projeto é a própria paleta de materiais adotada. A madeira de Freijó conduz o morador por todos os ambientes, hora de forma mais sútil - como na cozinha, onde aparece apenas como uma linha no plano de apoio dos puxadores em cava esculpida da marcenaria - e hora de forma mais presente - como nos generosos painéis de madeira da sala de estar, ou no piso dos quartos (aqui utilizamos o piso estruturado de Tauari), trazendo mais conforto e calor para esses ambientes. Essa base condutora, da madeira e do branco, é totalmente flexível, capaz de servir de apoio para a utilização de diferentes cores no projeto, seja no mobiliário, seja nas paredes, ou até mesmo nos objetos pessoais do morador. 

Desta forma, o uso das cores acontece de forma pontual, seguindo duas abordagens. No pavimento inferior, presente nas peças de design, escolhidas por conta da expressividade de suas cores, como na aconchegante poltrona Bowl de Lina Bo Bardi na sala de estar, e também nas obras do artista Gustavo Francesconi. Já no pavimento superior, a cor surge nas paredes criando planos e volumes, como na suíte principal, onde trabalhamos com a cor preta buscando trazer mais elegância ao ambiente, e na segunda suíte onde trabalhamos com um tom de verde, criando um ambiente mais descontraído. Existia ainda uma terceira suite na planta, que optamos por transformar em um agradável escritório, explorando um potencial inerte do projeto original do apartamento. Através da abertura de um grande pano de vidro junto ao pé direito duplo do apartamento, criamos um ponto de conexão entre os pavimentos que amplia o espaço do escritório: um “home office” de vista panorâmica.

De modo particular, podemos citar três detalhes do projeto. O primeiro deles é integração dos ambientes no pavimento inferior, incluindo a varanda, reforçada pela utilização de um piso de microcimento, um material que permite trabalhar um piso monolítico e sem juntas. O segundo ponto, altamente conectado, é o grande panorama que se abre para a esquina do edifício. Este panorama se torna ainda mais importante pela presença de um pé direito duplo envolto por um grande pano de vidro. Aqui buscamos ressaltar esse potencial criando ali um espaço de contemplação que se abre para a vista da cidade. Um ambiente mais intimista, estrelado por singelos pendentes que o iluminam de forma pontual para a fruição do momento. Por fim, destaca-se também o pequeno ambiente que criamos sob a escada, um espaço muitas vezes ocioso, aqui transformado em um pequeno segredo do apartamento, um bar e uma adega climatizada.

Sendo assim, o projeto visa, sobretudo, a criação de um lar. Um espaço familiar, aconchegante, de atmosfera leve e suave, capaz de bem abrigar a personalidade de seus futuros moradores.